Profissões que podem aumentar sua aposentadoria no INSS: Saiba quais são

Profissões que podem aumentar sua aposentadoria no INSS: Saiba quais são: Aposentadoria Especial Blog Explica: Profissões que podem aumentar sua aposentadoria no INSS: Saiba quais são. O profissional que trabalhou em atividade com risco ou dano à saúde e conseguir

Profissões que podem aumentar sua aposentadoria no INSS: Saiba quais são

teto do inss

Profissões que podem aumentar sua aposentadoria no INSS: Saiba quais são. O profissional que trabalhou em atividade com risco ou dano à saúde e conseguir comprovar o exercício até 13 de novembro de 2019 tem um cálculo melhor na aposentadoria.
Até 1995, o INSS se guiava por uma lista de profissões com direto ao tempo especial. Desde então, para comprovar o direito, é necessário apresentar laudos técnicos e formulários, principalmente o PPP (Perfil Profissiográfico Previdenciário), e a carteira profissional.
O trabalhador pode ainda usar o período na atividade, até a data em que a reforma entrou em vigor, para convertê-lo em comum, ao pedir a aposentadoria.

INSS

Decisões judiciais deste ano já garantiram o tempo especial para quem comprovou a exposição a um agente nocivo até a reforma da Previdência e o direito a um cálculo mais vantajoso.
O TRF-3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região), confirmou, por unanimidade, decisão que determinou ao INSS converter em tempo comum os dez anos de atividade especial exercida por um homem no transporte coletivo e na construção civil, após o segurado apresentar provas de ter trabalhado em ambientes sujeitos a agentes químicos, ruídos e eletricidade superiores aos limites legais.
O reconhecimento, somado ao tempo comum , foi suficiente para a aquisição da aposentadoria proporcional pelo trabalhador.Até 1995, não era preciso provas, bastava constar a profissão de motorista, por exemplo, na carteira de trabalho para ter direto ao tempo especial. Assim como para quem trabalhou de serralheiro, ficando exposto aos ruídos das ferramentas. Em decisão deste mês, o TRF-3 considerou que o uso de EPI (equipamento de proteção) não anula o direito ao tempo especial e concedeu a um trabalhador a conversão da aposentadoria por tempo de contribuição em benefício especial.

Compartilhe
- Advertisement -spot_img

Leia Mais

Recente