Destacado

Qual é o prazo para reclamar do não recolhimento FGTS?

Compartilhe

Qual é o prazo para reclamar do não recolhimento FGTS?: Aposentadoria Especial Blog Explica: Qual é o prazo para reclamar do não recolhimento FGTS? A Primeira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) estabeleceu que os trabalhadores com ações

Qual é o prazo para reclamar do não recolhimento FGTS?

Qual é o prazo para reclamar do não recolhimento FGTS? A Primeira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) estabeleceu que os trabalhadores com ações de cobrança de parcelas vencidas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) podem pedir os pagamentos atrasados dos últimos 30 anos, caso a ação tenha sido proposta até 13 de novembro de 2019.
Com esse entendimento, baseado em decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), o colegiado negou recurso no qual o Estado do Amazonas pedia a aplicação da prescrição de cinco anos na ação ajuizada por uma servidora temporária para receber verbas trabalhistas, inclusive parcelas do FGTS.
e fique por dentro de mais notícias.
O Tribunal de Justiça do Amazonas condenou o Estado a pagar à servidora todo o período trabalhado, entre abril de 2010 e março de 2017, considerando a prescrição de 30 anos. Para o governo estadual, o precedente do STF não se aplicaria às demandas que envolvem pessoa jurídica de direito público, para as quais o prazo de prescrição da cobrança seria de cinco anos.
— A decisão atinge os processos sobre contratos de trabalho que estavam em vigor ou se iniciaram até o ano de 2014, com reclamações de empregados sobre não recolhimento do FGTS, e cuja a ação tenha sido proposta até 2019. Para contrato de trabalho posterior a 2014, só se aplica o prazo de cinco anos —explica a advogada trabalhista Maria Lúcia Benhame, do escritório Benhame Sociedade de Advogados.
Aplicação dos efeitos
A ministra Regina Helena Costa afirmou que a aplicação do precedente firmado no julgamento do STF não se restringe aos litígios que envolvem pessoas jurídicas de direito privado, incidindo também em demandas que objetivam a cobrança do FGTS, independentemente da natureza jurídica da parte ré.
Regina Helena Costa explicou que, no julgamento do STF, foi declarada a inconstitucionalidade das normas que previam prazo prescricional de 30 anos para ações relativas a valores não depositados no FGTS, mas houve modulação dos efeitos, ou seja, um período de adaptação à nova norma com o objetivo de resguardar a segurança jurídica.

***FOTO DE ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, BRASIL, 10.03.17 Agencia da Caixa na Avenida Paulista. O saque do FGTS inativo começa nesta sexta-feira (10) para nascidos em janeiro e fevereiro e que tem dinheiro em contas inativas ate dez.2015. (Foto: Marcus Leoni / Folhapress)

Dessa forma, o STF estabeleceu o prazo de cinco anos para os casos em que o termo inicial da prescrição — ausência de depósito no FGTS — ocorreu após a data do …


Compartilhe

Você também pode se interessar por

Carregando...