Em 2020 no INSS as idade mínima e pontuação vão subir

Em 2020 no INSS as idade mínima e pontuação vão subir: Aposentadoria Especial Blog Explica: Em 2020 no INSS as idade mínima e pontuação vão subir. Os segurados do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) que se preparavam para pedir

Em 2020 no INSS as idade mínima e pontuação vão subir

SÃO PAULO, SP – 10.07.2019: MOVIMENTAÇÃO AGÊNCIA DA PREVIDÊNCIA EM SP – Movimentação em agência do INSS na zona sul de São Paulo na manhã desta quarta-feira (10). Câmara dos deputados deve colocar em votação o primeiro turno da reforma da previdência logo mais em Brasília. (Foto: Bruno Rocha /Fotoarena/Folhapress) ORG XMIT: 1760398

Em 2020 no INSS as idade mínima e pontuação vão subir. Os segurados do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) que se preparavam para pedir a aposentadoria com as regras de transição definidas após a reforma da Previdência podem ter que esperar um pouco mais para se aposentar.
O motivo é que algumas das novas normas dos benefícios, que começaram a valer no dia 13 de novembro de 2019, com a publicação da emenda 103, vão mudar de novo em 1º de janeiro.
Dentre elas estão o aumento da pontuação mínima para entrar na regra de transição por pontos, a elevação da idade mínima para quem vai pedir o benefício por tempo de contribuição com pedágio de 100% e também a alta de seis meses na idade da mulher para pedir o benefício por idade.
As mesmas alterações ocorrerão nas regras para professores e demais servidores do governo federal.
Na regra de pontos, para trabalhadores do INSS, será preciso somar, na idade e no tempo de contribuição, 87/97 para homens e mulheres, respectivamente.
Até 31 de dezembro deste ano, a pontuação mínima é de 86/96.
Roberto de Carvalho Santos, do Ieprev (Instituto de Estudos Previdenciários), afirma que, no caso da pontuação mínima, a cada seis meses o trabalhador ganha um ponto, ou seja, a espera é de apenas um semestre.
No entanto, o advogado critica o fato de a transição da reforma ser válida por cerca de 14 anos, conforme cálculos, embora não haja um limite definido por lei.
Outro ponto importante a ser considerado é o fato de que a PEC (proposta de emenda à Constituição) paralela, que altera algumas regras aprovadas na emenda 103, ainda está sendo analisada no Congresso.
Uma das mudanças positivas para segurados e funcionários públicos é que o cálculo dos benefícios pode voltar a considerar os 80% maiores salários desde 94.

Compartilhe
- Advertisement -spot_img

Leia Mais

Recente

Compartilhe